Seguidores

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

COMPARTILHAR ENSINAMENTOS

Procuro um caminho, talvez uma oportunidade, para poder aprender e compartilhar ensinamentos, mas estes ensinamentos, que guardo dentro do peito e os que eu gostaria de aprender, são bem poucos os que se interessam cada um se arvora de juiz, professor, elegendo a sua verdade como única e completa, nem se quer suportam a idéia de compartilhá-la com quem já tenha dentro de si alguns conhecimentos acumulados,.preferem sem dúvida aqueles que estão inseguros, engatinhando para poderem exercer com os mesmos o seu poder e de certa forma dominá-los.

Não admitem que os “discípulos” tenham idéias próprias e nem os incentivam a caminharem sozinhos , talvez porque se sintam ameaçados, têm medo de perderem o
seu domínio.

Não entendem que ninguém detém totalmente a verdade, e ninguém sabe tudo, cada um
tem nesta terra uma experiência, quando a experiência é igual o campo de luta é diferente, portando apenas a essência fica igual mas o decorrer das experiência devido ao campo em que foi aplicado se modifica, trazendo resultados bem diferentes.

Portando cada um de nós somos um mundo único, ímpar, portando temos muito o que compartilhar em matéria de aprendizado e muito mais a aprender, mas o ser humano em seu orgulho raramente o admite, principalmente quando o mesmo é líder em algum tipo de comunidade, ou seita religiosa.

Quanto tempo desperdiçado em vão, quanto tempo em se digladiarem só para contestarem a verdade do outro, será que não percebem que na maioria das vezes os dois estão certos, dependendo o tipo de experiência e o campo em que essa experiência foi aplicada?

Quanta inutilidade para o mundo, atitudes estas que se não regride a evolução de cada um, no mínimo as paralisa, se não conseguem entregarem-se aos mistérios do espírito com coração aberto e com humildade então calem as suas bocas, e se unam para arregaçar as mangas, há muita caridade a ser cumprida, e na maioria das vezes o necessitado precisa muito mais de uma sopa quente doada com um abraço fraterno do que um manancial de lições de comportamento existencial.

Caso o necessitado de amparo espiritual esteja com fome na matéria, primeiro mate-se a fome da matéria com muito amor para matar também a fome emocional, então aos poucos vai se devagarzinho se administrando mais com exemplos do que com palavras lições que irão alimentar a alma, e se por acaso o paciente não aceitar as lições da alma, cale-se, continue apenas a demonstrar as lições com as suas próprias atitudes e não pare de lhe alimentar o corpo e o emocional , tudo com muito amor e humildade.



Ditado por Aspargos
psicografado por Luconi
em 07-01-2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário