Seguidores

quarta-feira, 18 de abril de 2012

NO NOSSO INTERIOR UM MUNDO DE PAZ



Do mundo apenas queria, um cantinho para mim, onde a paz reinasse e a feiura do mundo não entrasse.

Mas quem disse que neste mundo, tal cantinho existe, é apenas utopia de coração desavisado, que mesmo fechando as portas sempre sobra uma fresta que é o suficiente para o mundo lá fora entrar.

Do mundo era o que queria, viver num mundo de sonhos protegida de todo mal, acreditando que era este o mundo real.

Perseguia tal cantinho como se fosse natural, fugindo do mundo lá fora, usando sempre armaduras e enormes muralhas para não ser atingida.

Pobre tola que eu era, nem ao menos percebia, que mais eu fugia, mais o meu cantinho se distanciava, mais meu sonho se esvaía.

Foi preciso forte vento, tudo desestruturando, colando-me frente a frente com a dor da realidade deste mundo verdadeiro ao qual eu pertencia e não queria enxergar.

Tentei em vão me esquivar, mas não houve mais jeito, a minha consciência acordara e gritava para mim, levanta as mangas, descruza os braços, aqui não estas a passeio.

Então mergulhei no mundo, enfrentando a tempestade, estendi as mãos para quem quisesse segurar e quem segurou ao se levantar também me levantou. Abracei aqueles que encontrei chorando de dor e por eles fui abraçada, no instante do abraço senti imenso amor, emprestei os meus ouvidos, ouvi e fui escutada, lutei a batalha dos outros e eles lutaram a minha.

De repente, já então no fim da vida, olhei a minha volta e vi o meu cantinho, aquele que eu antes sonhara. Estava ele bem pertinho, dentro do meu próprio ser, de mim ele fazia parte e eu parte dele fazia, a paz então reinava e no meu último suspiro percebi que aquele vendaval que ao mundo me atirou, mostrou-me que um mundo de paz não se ganha de graça, mas sim se conquista.

E olhando ao redor deste meu mundo interior, percebi que toda a gente que pelo meu caminho passou, estavam ali presentes e eu os olhava de frente, aconchegando-os em meu interior.

No meu último suspiro percebi que aprendera a viver, que ao invés de passar pelo mundo eu fizera parte ativa dele, dentro do mundo ao meu redor. Vivi quarenta anos, vinte e oito vivi tentando me esconder num cantinho de paz só meu, vinte e oito anos eu apenas passei pela vida. Dou graças a Deus pela dor vinda com o vento forte, que me sacudiu e me fez ver a realidade e o quanto era bom amar a todo irmão sem distinção, os últimos doze anos muito me ensinaram, graças a eles pude retornar à pátria espiritual com algum avanço em minha evolução, mesmo que eu considere um avanço pequeno, ainda assim foi um avanço.

Por isto eu vos digo, saia de dentro da concha que te protege, dê a cara à tapa, quanto mais você ajudar e entrar no meio das tempestades, mais ajuda e aprendizado você mesmo ganhará e então um dia descobrirá em seu interior um mundo de paz semeado com muito amor.

Que Deus os abençoe e Jesus esteja dentro de seus corações,

ditado por Hilda Maria
psicografado por Luconi
em 14-04-2012

Quando comecei a psicografar não sabia que era ela, nossa no meio comecei a desconfiar e no final tinha certeza, sei que muitos de minha família podem não acreditar, mas como ela mesma disse em sua mensagem, vou dar a cara à tapa, obrigada irmã tão amada que esta seja apenas o começo de muitas mensagens passadas por você, te amo sempre. 

5 comentários:

  1. Luconi minha querida,

    Quantas mensagens dignificante não podemos encontrar aqui, retratos da realidade, orientações, cortinas que se abrem para os nossos olhos objetivando nos aclar a caminhada feliz para nossos acertos comuns.
    Um cantinho que seja somente meu, de fato não existe, senão o isolamento da alma que nos deixa trite, permanecendo numa esfera fugidia que nós proprios criamos...
    Somos egoistas, ainda na razão do querer está em nós, quando nos fechamos em cubículos oriundos de nossas inferiores sintonia, do não querer interagir com o mundo, como se ele nos fosse o encomodo, sem nos dar-mo conta que tudo depende de nós para o alcance de boas sintonias...

    Sempre agradecida pelo teu carinho,
    pelos textos com que nos banha a alma e nos encoraja para a travessia...

    Abraços fraternos e beijos
    em teu coração...

    Livinha

    ResponderExcluir
  2. Oi amada vim pessoalmente responder sua dúvida.

    Ninguém nasce sabendo tudo, vamos angariando com o decorrer da vida.
    Fadas são elementais do ar, ligada a natureza e a harmonia das florestas, bosques animais. Podemos cultuá-las no nosso jardim, em nossas casas.

    Bruxas não são más, isso foi fixado nos séculos passados pela 'igreja', para que as Grandes Sacerdotisas não cultuasse a Grande Deusa, ou a Grande Mãe. Antigamente as mulheres dominavam a arte da cura através das plantas, elas eram as curandeiras dos povoados, elas que invocavam os Deuses, e a igreja sentindo ameaçada pelo grande poder e valor que essas mulheres tinham, inventaram que eram amante de Satã e portanto impuras, muitas foram jogadas nas fogueiras, enforcadas, afogadas, violentadas, etc, etc, etc, tudo isso era feito em nome de um "Deus machista e cruel" literalmente INVENTADO POR ELES.

    Pois Deus é amor, Jesus precisou de Maria para nascer, e foi rodeado pelo amor dela e de Maria Madalena.

    Que os Deuses te abençoe.
    Que as fadas te ilumine.
    Que as Bruxa lhe proteja.
    Blessed Be.
    Lua.

    ResponderExcluir
  3. Amiga, me arrepiei e me emocionei. Que linda mensagem!
    Obrigada por partilhar!
    Beijos, amada!

    ResponderExcluir
  4. Que mensagem emocionante e linda...tão doces e amáveis palavras...
    Obrigada, amiga, por mais uma lição de vida!

    Tenha uma perfeita sexta-feira, querida amiga Luconi!!
    Beijos!♥

    ResponderExcluir
  5. Luconi, eu acredito que foi isso que Cristo quis dizer ao nos aconselhar a oferecer a outra face: não ter medo. Arriscar novamente, ao invés de trancar-se e achar-se perdedor. Adorei passar por aqui, e com toda certeza, voltarei!

    ResponderExcluir