Seguidores

sexta-feira, 6 de julho de 2012

SUICÍDIO INCONSCIENTE CONSEQUÊNCIAS




Amanhecia os raios de sol já entravam pelas frestas da velha janela anunciando a chegada de um novo dia.
Mas para mim era tudo tão igual, não percebia as bênçãos que Deus derramava sobre todos através daqueles raios de sol, que traziam calor e esperança no coração de muitos.

Para mim o dia não era novo, tudo me parecia muito velho, antigo, sem nenhuma possibilidade de mudança. Os raios de sol ao invés de me animarem pelo contrário me irritavam, pois pareciam mais uma cobrança para que eu vivesse, saindo de dentro de mim mesmo e entregando-me a uma nova luta.

Eu me sentia nublado, simplesmente nublado, cinza, nem chuva tinha, pois a chuva caindo mansa traz afagos em nossa alma, aconchego. Eu não me permitia sentir afagos na alma, eu não, comprazia-me em tristes recordações, fazia questão de me amofinar em minhas lembranças.

Assim quando menos eu esperava fui visitado por cruel doença que em pouco tempo consumiu minhas forças.
Então tardiamente, olhei em volta de mim, reparei no mundo em que eu vivia, e percebi o quanto eu o amava.
Como era importante aquelas pessoas que de minha vida faziam parte, como era lindo o amanhecer com os raios de sol que me aqueciam e como era triste para mim  a noite, que representava o  fim de tudo, queria logo dormir para outro dia assistir amanhecer.

Então, enchi-me de esperança, haveria de recuperar a saúde, não me cansaria de acarinhar a mãezinha querida e de apoiar o pai autoritário, mas que muito me amava. Sairia a luta de meus antigos ideais e esperaria um novo amor, afinal havia jogado minha saúde fora por causa de uma desilusão.

No entanto, tarde demais, ouvi os sábios conselhos de meus pais, tarde demais dei valor à vida e cedo demais, bem antes do tempo que havia sido determinado na espiritualidade, desencarnei.

Era óbvio que fui um suicida, não como a maioria que num só ato tresloucado tira a própria vida, mas fui minando minha vida aos poucos, desejei a morte em meu inconsciente e egoisticamente achei que só eu sofria, que nada nem mais ninguém valia a pena e tarde demais senti amor pela vida.

Perambulei muito tempo pelo Umbral, carregado de remorso, não aceitando que Deus não tivesse me restituído a saúde, demorei em cair em mim, os meus pulmões estavam muito afetados,  não tinha como recuperá-los e que este fato só se devia a mim. Então, finalmente, caí de joelhos e com lágrimas que inundavam o meu rosto, implorei o perdão do Criador.

Algum tempo depois, quando de tanto chorar adormeci, recebi a visita de um amigo querido. Eu não sabia, mas era antigo conhecido de outras vidas, ele me acolheu em seus braços, num abraço que renovou minhas forças e me disse: “Finalmente meu irmão, você acordou, vamos temos um caminho mais ou menos longo até a sua total recuperação”.

Haviam se passado dez anos do dia do meu desencarne, dez anos eu demorei para cair em mim e perceber o quando eu havia sido egoísta.

Bem, isto faz muito tempo, desencarnei no ano de 1637, em 1647 iniciei meu retorno à evolução, trabalhei assim que me recuperei em vários setores, retornei à Terra em 1800 desencarnando com apenas vinte e cinco anos desta vez vítima da mesma doença da encarnação anterior, só que desta vez a peguei cuidando dos infortunados vítimas  da escravatura. Retornei em 1900 quando trabalhei pela democracia, sendo médico procurei levar conforto aos mais desfavorecidos da sorte, desta vez desencarnei aos sessenta anos, desde então, estou aqui tentando resgatar minhas dívidas para com a humanidade através dos trabalhos socorristas e há quarenta anos além de minhas obrigações corriqueiras quando sobra um tempinho passo algumas psicografias. No intuito de espalhar o amor de Cristo entre os encarnados e também lembrar que o AMOR sem orgulhos ou egoísmos é o único caminho para a evolução.

Escolhi continuar com o nome e aparência da encarnação que cometi o maior crime que se pode cometer o auto suicídio, para jamais me esquecer o quanto sou imperfeito.


Fiquem na paz do Senhor e espero que através de meu exemplo, vocês deem mais valor à vida e às bênçãos do Pai, que não chorem como eu a oportunidade perdida.


Ditado por João de Albuquerque
psicografado por Luconi
                  em 06-07-2012

9 comentários:

  1. Que maravilha de mensagem desse espírito que quer ajudar a todos,através de sua história... beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Marcia,não conhecia a história de João de Albuquerque.Adorei e tem mesmo muito a nos ensinar!bjs e meu carinho,

    ResponderExcluir
  3. Luconi, querida, que lição de vida e pós vida! Esse relato nos mostra o valor da vida. Muitas vezes só damos valor quando a perdemos.
    Fiquei muito feliz ao encontrar seu comentário. Quis respeitar seu tempo, por isso não escrevi antes. Continuo minhas preces por vcs. Uma forma de driblar a saudade é dedicar-se ao trabalho em favor de outras pessoas q sofrem. Todos os relatos q li aconselham isso. Estou ao seu lado para o q precisar, se quiser escreva por E-mail, leio-os todos os dias. Amiga, q Jesus te abençoe muito. Muita paz!

    ResponderExcluir
  4. Uma linda mensagem amiga. O auto abandono e morte em vida que muitos se entregam.
    É preciso acordar para a vida que nos foi dada e valorizar cada instante.
    Que saibamos entender e viver pelo bem e por amor proprio.
    Um carinhoso abraço amiga.
    Fé e paz com Deus no comando sempre.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Olá, Lucone. Boa noite! È uma mensagem nos mostrando o valor da vida. Exemplo de fé, iluminação e amor. Um ser de luz! Obrigada pela partilha. Agradeço também sua carinhosa visita. È um prazer recebê-la! Muita luz e paz pro seu coração. Estarei passando por aqui! Linda mensagem. Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Meus pais sempre disseram: "Ah se eu soubesse o que sei agora na minha juventude."
    Mas é assim mesmo que funciona a vida. Isso é injusto...
    Beijocas, minha amiga linda!

    ResponderExcluir
  7. que história comovente...
    Lucone, agradeço imensamente sua presença no meu espaço.
    Fez um enorme bem pra mim conhecer o seu blog.
    Fiquei lendo e refletindo sobre minha vida.
    Foi importante esta leitura, pode ter certeza.
    deixo o meu carinho sincero pra vc.
    bj.

    ResponderExcluir
  8. que lindo depoimento,ainda mais num momemto de dor em que passo pelo suicidio de meu marido,serve como um consolo e esperança que DEUS o perdoe.

    ResponderExcluir
  9. há um certo tempo tive depressão e fiquei por mt tempo pensando em me matar, então comecei a ver textos espiritas q me fizeram mudar de ideia, desde então tenho tentado me focar no amor de Deus e na sua justiça, porém, agora estou correndo risco de ser condenado à prisão por ter plantado maconha (coisa q somente pelas leis humanas eh considerada crime), e estes pensamentos voltaram à minha cabeça, mas dessa vez eu estou mais crente na Lei do amor de Deus e mesmo se eu for condenado vou seguir firme na fé, pq sei q td isso passará um dia. Para quem passa por situação semelhante recomendo q escute musicas q falam sobre o amor q Deus tem para com nós, pode ser música evangélica, música católica, reggae rastafari ou música sacra barroca, o importante é saber q a lei d Deus prevalecerá sobre a lei humana e q os justos terão seu devido lugar num futuro não tão distante.

    ResponderExcluir