Seguidores

sábado, 22 de março de 2014

QUANDO CRIANÇA EU ERA FELIZ, POR QUÊ?



Antes não era assim, eu era feliz, não havia tristezas, e os pequenos dissabores passavam rapidamente, sim eu era feliz, mas eu era criança.

Eis a questão, eu era criança, acreditava, tinha esperança, no mundo não havia maldade, ninguém para mim era ruim, ruindade não existia, vivia protegida no meu mundo infantil, é eu era feliz.

Não, não era uma criança rica, nem pobre demais, tínhamos nossa casinha, simples, modesta mesmo, pequenina, dois cômodos, papai trabalhava muito, mamãe nem sempre, só os dias que tinha faxina, nestes dias ficava com a vovó, não tinha vaga na creche e meus irmãos, eram dois, já estavam na escola de verdade.

 Feijão e arroz sempre tinham, agora guaraná ou soda só em dias de festas, natal, ano novo, páscoa e festa de aniversário. Mistura não nos importava, tudo que mamãe fazia era gostoso e bem vindo, não me lembro de meus irmãos reclamarem, só quando o jantar atrasava, era um tal de aí que fome pra lá e aí que fome pra cá.  Mamãe ralhava, coitada era nos dias que tinha faxina que a comida atrasava, papai tinha paciência, às vezes chegava tarde, mas a gente não ligava, ele sempre trabalhava muito.

Ah! Eu era feliz, chorar um pouquinho quando brigava com meus irmãos ou eles comigo, não me tornava infeliz, ficava com raiva e só, logo esquecia.

  Noto na minha memória, que quando estava na segunda série já no meio é que comecei a entristecer, já não era tão feliz, começava a conhecer o mundo, as suas tantas diferenças e descobri que tinha gente ruim, sim, até crianças ruins, não gostei de minha descoberta, mas a partir de então a felicidade, não era uma constante, com o tempo passou a se distanciar no tempo os dias que me sentia feliz e mais fui crescendo, mais difícil era me sentir feliz, até que finalmente passei a crer que felicidade não existia, apenas momentos felizes e por quê?

Hoje eu sei, enquanto era criança e permanecia com o meu coração puro, era feliz, depois deixei o meu coração ser contaminado pelas maldades do mundo, pela vontade de ser alguém, pelo desejo de ter coisas que não podia ter e então me lançava na luta constante para ter, é contaminei meu coração, passei a achar injusto as pessoas pobres sem nada e os ricos com tudo, achava injusto, mas nada fazia.

Bem, mais tarde, já de meia idade, comecei a abraçar este povo pobre, eu também o era, apesar que tinha conseguido sair da classe pobre e fui para a remediada e abraçava como podia nem que fosse com um sorriso, uma palavra, um agasalho, um alimento, uma ideia, a qualquer pessoa que cruzasse meu caminho e deixasse eu me aproximar, às vezes eram contatos rápidos, outras vezes, devo dizer raras, os contatos se repetiam e era criado um laço de amizade, então um dia descobri o quanto me sentia feliz quando estava abraçando alguém, eram momentos em que tristeza não existia, eram momentos que meu coração se abria da mesma forma de quando eu era criança, quando a esperança sempre existia, desta forma descobri como ser um pouco feliz nesta terra.

Bem, não é uma mensagem, é apenas um relato, de alguém que aprendeu, nesta escola bendita que é este planeta abençoado que recebe a tantos encarnados, o que Jesus queria dizer quando em suas sábias lições disse: "Eu lhes asseguro que, a não ser que vocês se convertam e se tornem como crianças, jamais entrarão no Reino dos céus.
Portanto, quem se faz humilde como esta criança, este é o maior no Reino dos céus”.
Mateus 18:3-4


Desta forma, apenas quando olharmos a nossa vida e o mundo ao nosso redor com o olhar que tínhamos quando éramos crianças, só então, conseguiremos nos sentirmos felizes e olharmos os revezes da vida com compreensão, esperança e muita fé.


Ditado por Maria Adelaide
psicografado por Luconi
em 22-03-2014

6 comentários:

  1. OI LUCONI!
    LINDO, EMOCIONANTE E CONSTRUTIVO.
    A CRIANÇA NOS CAUSA ESTA SENSAÇÃO DE ACONCHEGO, DESPERTANDO O QUE DE MELHOR TEMOS EM MATÉRIA DE SENTIMENTOS, POIS, É PURA, AINDA NÃO SE CONTAMINOU COM OS DESMANDOS DO MUNDO.
    PENA NÃO PODERMOS PRESERVÁ-LAS, CONSERVANDO-AS "FELIZES".
    ABRÇS AMIGA.
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Belo trabalho de Maria Adelaide e Luconi. Texto digno de releituras. Abraço, Luconi, extensivo a sua companheira espritual.

    ResponderExcluir
  3. Beleza de texto e fala de coisas da vida de cada um de nós. Vamos então, agoira, mais crescidinhos, eu já com 65, tentar não perde a alegria daquele tempinho bom.... beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  4. Bela msg e ser criança é bom por essa inocencia que não temos mais quando adultos! bjs,

    ResponderExcluir
  5. Olá amiga! Tempo da inocência! Tudo na mão, bom ou ruim, pouco ou muito, mas, na mão e sem nenhuma responsabilidade, pois a batalha era privilégio dos meus pais. Daí o porquê que, mesmo em outra dimensão, eu nunca deixei de amá-los. Lindo texto Luconi.

    Beijos e muita paz para ti e para os teus.

    Furtado.

    ResponderExcluir
  6. Querida Luconi, parabéns pelo seu aniversario, que Jesus te cubra de bênçãos que você seja muito feliz!!

    Querida, tentando ajudar quem está com problema para seguir os blog, fiz uma postagem simples, espero ajudar, se desejar da uma passadinha lá. Bjuss fica na paz de Deus.

    ResponderExcluir