Seguidores

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

NA TERRA COMECEI A SER GENTE



A esta Terra bendita, tenho muito a agradecer, o fato de ter virado gente, como gente tem que ser.


Fui servo maltratado, de um majestoso palácio, enquanto servia aos nobres refeição farta, a mim apenas cabia os restos deixados nos pratos, a revolta era grande, acusando a nobreza de injusta e egoísta, melhor eram tratados os seus nobres animais.


Fui camponês humilde, trabalhando de sol a sol, vinha a guarda real e o melhor de minha lavoura levava, o restante mal dava para alimentar os filhinhos famintos, novamente acusava o rei de injusto, no povo não pensava, enricando com o meu trabalho.


Por fim, fui escravo e jovem morri, trabalhava dia e noite, repousava numa estrebaria, o alimento era o resto dos restos dos servos do palácio.


Todas as vezes, apenas reclamava, revoltava-me e nada fazia, nem consolava aos irmãos que sorte igual a minha tinham, pelo contrário, eram eles que me acalmavam e tentavam ver o lado bom da vida miserável que levávamos, eu apenas semeava revolta nos corações.


Por fim, nasci com sangue azul, de tudo eu tive, ao trono cheguei, nunca olhei para o servo muito menos para o escravo, seus rostos nem conhecia, para mim todos eram iguais em suas aparências, apenas me preocupava em abafar as revoltas, ainda me achava coberto de razão. Alguns atos piedosos assinava, mas apenas para calar minha consciência e satisfazer a vaidade de ser chamado de bom.


Como foi fácil julgar em outras vidas a ignorância dos soberanos, assim que tive o poder igual a eles me tornei.


Então, quando desencarnei, não encontrei riquezas, meu espírito era pobre e em andrajos se transformou a roupa real que usava, então acostumado a me revoltar, revoltei-me contra Deus, que Senhor era este que se assentava em um trono e permitia que seus filhos de andrajos se vestissem.

Na minha loucura perambulei por muito tempo, senti fome, senti sede, até que o sofrimento abafou minha revolta, ajoelhado no chão de lama, chorei por muito tempo e de repente mãos iluminadas enxugaram minhas lágrimas e eu clamei PERDÃO meu DEUS, alguma coisa de errado fiz. As mãos que meu rosto enxugaram, eram de um escravo, amigo da época que escravo fui, levou-me para uma morada onde outros andrajosos estavam e recebiam tratamento.


Uns haviam sido servos, servos revoltados, outros escravos, escravos revoltados, outros eram nobres, nobres egoístas que causaram a revolta de todo um povo, servos, escravos e colonos, e eu descobri que já havia sido todos eles e em nenhuma das situações fiz algo para auxiliar meus irmãos nem quando o poder na mão tinha.


Chorei, chorei e de chorar não mais parava, a desculpa que eu dava era a pobreza em que vivia e desta vez nem esta desculpa eu tinha.

Com o tempo a tristeza e vergonha de mim mesmo tomou conta de minha alma e os irmãos pedindo a Jesus, deram-me nova oportunidade, voltei pobre mas com possibilidade para o estudo, estudei muito, tornei-me médico com muito sacrifício e optei em ser médico missionário nas tribos indígenas que não conheciam Jesus. 

Precisei de mais de mil anos para entender, que não importa a roupa carnal que se vista, não importa a posição social,
importa sim ter o coração repleto de amor, ver o lado de cada um em cada proceder, não julgando, apenas exemplificando amor através de atos, deixar que estes atos semeiem o amor no coração de cada irmão.


Entender que nada é culpa de alguém ou de uma situação,o que recebemos  são consequências de nossa forma de agir, de sentir, e se agirmos e sentirmos segundo as leis do amor fraterno com certeza os nossos acertos auxiliarão a muitas e muitas pessoas.


E nós não estaremos fazendo bem a estas pessoas, são estas pessoas que estarão fazendo bem a nós, porque através delas estamos resgatando erros milenares, estamos aprendendo com elas a resignação, a saber lidar com as precariedades da vida.


Nesta encarnação finalmente comecei a ser gente de verdade, retornei mais duas vezes,
mas ainda não aprendi a ser realmente “gente”, estou me esforçando e um dia quem sabe eu consiga o mérito deste diploma, mas sinceramente gostaria de ter este diploma quando todos os irmãos que compartilham comigo esta escola também alcançá-lo.


Arregacem as mangas, abram os braços e recebam as dádivas Divinas, que são as oportunidades para todos nós nos tornarmos realmente “gente”.




ditado por Gilson Gomes
psicografado por Luconi

em 04-01-2016

3 comentários:

  1. A nossa caminhada é ditada por Deus e formada de amor e perdão.
    Recebemos a vida. Devemos fazer dela um acto de louvor ao nosso Criador.
    Recebemos uma Cruz, igual à de JESUS, Vamos amar todos os irmãos
    Toda a nossa vida só encontra sentido em JESUS nosso Salvador

    ResponderExcluir
  2. Luconi, estou realmente maravilhada com este texto. Contém ensinamentos muito profundos. Eu costumo dizer que eu renasci para evoluir, reencarnei porque tinha carma para resgatar, ao longo desta minha vida tenho aprendido grandes lições. Aprendi a ser tolerante e a ter compaixão por todos os seres sencientes, creio que fazia parte do meu aprendizado. Todos se deveriam de colocar na posição de cada um em dado lugar e situação, agir como gostaríamos que agissem connosco, sem julgar ninguém, mas sim tentando sempre ajudar o próximo. Penso que só assim se poderá alcançar o diploma de que fala Gilson Gomes nesta mensagem, porque só nessa altura se atingirá a Iluminação.
    Votos de um 2016 cheio de bençãos Luconi.
    Beijinhos de Luz!
    Ana Maria

    ResponderExcluir
  3. A vida é triste. Prefiro não pensar muito na reencarnação.
    Abraços!

    ResponderExcluir