Seguidores

domingo, 24 de fevereiro de 2008

MÃE, AONDE ESTÁS?


Oh! Mãe não te encontro, não estás.
Já não te escuto os passos e nem ouço a tua canção de ninar.



Procuro-te em todos os cantos, mas a casa tornou-se vazia, corro em vão para os teus braços, que tanto apoio me deram mas não os acho.


Tento em vão encontrar algo que me una a você, mas me parece impossível.


Já no desespero, recorro a Deus e então, dentro de mim o vazio se preenche com uma voz, volto-me para o meu interior e te escuto, te sinto, e o teu apoio apesar de invisível para os olhos terrenos, me acalma e tu me dás a resposta:


" Amor, amor filha minha, eis o elo que nos unirá sempre, amor e fé, sentimentos que esteja eu aonde eu estiver, fará com que nós permaneçamos sempre unidas, e os meus pensamentos dirigidos a você serão os meus braços que te amparam, a minha canção que te acalma, a minha voz que te aconselha."


O pranto toma conta de mim, já não mais me controlo, choro de felicidade, choro de alívio porque te reencontrei, choro agradecendo a Deus por ter me aberto a visão espiritual, recordando-me o seu infinito Amor de Pai.


Ditado por Gilson Gomes
Psicografado por Luconi
em 05-03-1982

Nenhum comentário:

Postar um comentário