Seguidores

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

TANTAS RAZÕES PARA VIVER E NÃO ENXERGAM


Certo dia meu aparelho encontrou amiga dos tempos de infância, que se encontrava particularmente insatisfeita com sua vida, encontrando-se bastante deprimida, aparentemente motivo para isto não havia, convidou-a para participar de trabalho mediúnico em humilde centro kardecista, em sua entrevista no centro tomei a fala de meu médium e travamos o seguinte diálogo que aqui transcrevo para todo e qualquer irmão em Cristo, que precise reencontrar a razão de viver.
Quando digo é primordial que ames.
Tu me respondes, eu amo.
A quem eu te pergunto?
Tu o dizes, ora meu marido, meus filhos, meus pais, irmãos, sobrinhos, cunhados.
Só amas a quem de uma forma mais grosseira tens mais que obrigação de amar.
Prontamente respondes. Ah! Claro amo a Deus, a Jesus, a Virgem.
Mais uma vez amas quem te convém.
Ou por acaso não te é conveniente devido a sua formação amar ao Pai, ao Filho e a Mãe?
Agora já não respondes tão de imediato, pensas um pouco e depois me diz não entender.
Eu te digo o que sentes pelos teus vizinhos, colegas de trabalho, chefe, amigos?
Dizes eu gosto deles, às vezes existe algum desentendimento, mas eu gosto sim.
Abririas a tua porta para receber um deles em situação difícil de vida? Por acaso sairias de teus afazeres ou da tua hora de lazer para cuidar de algum deles se acamados?
Bem nem todo mundo se pode por em casa, mas eu se tivesse condições ajudaria e quanto a cuidar de algum acamado, fica difícil, pois tenho minha família, uma vez vai lá, mas tomar por compromisso não dá.
Pois se fosse um daqueles da tua família?
Rapidamente respondes, família é diferente não é?
Mas negastes o teu amor ao Cristo.
Balanças a cabeça e me dizes que não se lembra de nenhuma pergunta a respeito de Cristo.
A questão é esta minha amiga, Cristo está em todo aquele que lhe bater à porta, inclusive na família, mas o Amor que ele pregou é universal, então ELE é aquele amigo, aquela colega, aquele chefe, aquela vizinha ou talvez quem sabe aquele desconhecido que apenas lhe pede um pouco de atenção ou um prato de sopa quente.
Cristo é aquela criança, que ao vê-la de longe tu atravessas a rua, temes uma agressão, talvez não agüentasse o seu olhar de tristeza, fome e desilusão.
Acredito que quando lestes os ensinamentos que Ele deixou apenas te fixastes no que era de seu interesse, aqueles que fariam você sair de tua comodidade ou então de tua segurança, pois pequenina é tua fé como o teu amor, achaste melhor não se aprofundar, pois segundo tua maneira egoísta de ver, Ele agia assim porque afinal era o Cristo.
Ah minha amiga quanto tens a aprender, quanto o teu coração tem que se abrir, e quanto a tua fé tem que aumentar.
Faça uma reflexão te tudo que te disse depois se proponha a ver o mundo e enxergá-lo, aprenda a cultivar o amor, e aprenda que nesta vida nada é o acaso, tudo tem a sua razão de ser, e se hoje tivemos a oportunidade de conversar, é porque a hora é esta, o tempo nesta vida passa rápido demais, e tão triste é olhar o passado e ver que não aproveitamos as oportunidades e que os verdadeiros tesouros foram afastados para bem longe.
Mas já não respondes, lágrimas correm a face, que bom amiga e irmã em Cristo, começas a regar as sementes de amor que há tanto tempo foram semeadas, o solo não mais se mostrará estéril, agora tenho certeza que vencerás.

ditado por Gilson Gomes
psicografado por Luconi
em 06-08-2009

Um comentário:

  1. Minha amiga, tu és uma grande lutadora e filha de nosso Senhor! Um alento á vida atribulada são pessoas tais a ti... Meu cheiro e minha amizade. Teresa.

    ResponderExcluir