Seguidores

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

NA FAMÍLIA ENCONTRAMOS NOSSA MAIOR MISSÃO.



Amizade uma palavra tão simples, um elo dos mais nobres, amizade sentimento que se assemelha a fraternidade, pois quantos e quantos amigos são mais que irmãos para nós. Bem verdade que infelizmente muitos irmãos consanguíneos não têm entre eles este elo tão nobre, tão belo, tão puro.

Incrível, como muitos conseguem serem tão fraternos, tão amigos, com muitos e com seus irmãos de sangue colocam uma barreira, sentem o amor, mas é um amor nublado que não se abre totalmente no peito, que não toma conta totalmente da alma, como se houvesse uma pedra que servisse como barreira impedindo disto acontecer.

Estranho? Não para a espiritualidade, mas aos olhos do mundo sim. Acontece que é justamente na família de sangue que pertencemos que são colocados os espíritos afins para ajuda mútua e os espíritos, que por qualquer motivo de outras vidas, temos desavenças, brigas, mágoas, enfim um deve ao outro por qualquer razão e são colocados na mesma família para que através desta convivência finalmente consigam fazer crescer entre eles o amor que acabaria de vez com a questão.

Outras vezes, um espírito que muito amamos, mas que está perdido espiritualmente é colocado em nossa companhia para que nós através de nosso amor consigamos levantar a venda que lhe tampa os olhos, fazendo-o inverter os verdadeiros valores e também agir como se não nos amasse, mil vezes ele erra, mil vezes estendemos a mão, muito nos culpam por isso, dizem que é nossa fraqueza, não entendem que não conseguimos ver quem amamos no chão, torna-se mais forte do que nós.

Mas é justamente aí que erramos, por que nem sempre estender a mão, assumir os erros dele, fará com que ele reconheça seus erros, torna-se necessário amparar, mas deixá-lo assumir com as consequências de seus erros, mesmo que essas consequências o levem a um triste castigo na terra, só assumindo seus erros e vendo quem o ama de seu lado para dar-lhe forças é que ele poderá realmente se modificar.

Com certeza, sofreremos durante este processo, mas no amanhã terá valido a pena.
Caso contrário, teremos fracassado em uma missão importante nesta Terra, por não sabermos equilibrar amor e razão, o espírito que tanto amamos continuará preso aos seus vícios morais e nós imploraremos outra oportunidade de ajudá-lo, pois quem sente o amor puro em sua essência não consegue continuar deixando para trás alguém querido.

Tentem meus irmãos cultivarem o elo de amizade dentro de vosso lar, tentem ajudar àquele que está perdido de forma equilibrada, para que se acontecer dele não conseguir se modificar vocês não tenham nenhum tipo de remorso, sofrerão com a queda dele, mas a suas consciências estarão tranquilas, certos que fizeram tudo que estava ao alcance.

A tarefa é árdua, mas o sábio sabe que é necessário vencer muitas batalhas para se ganhar uma guerra, e não é algumas poucas derrotas que determinarão que a batalha estará perdida, não, com certeza a vitória sempre será da LUZ, mais cedo ou mais tarde, ela sempre vence.



Fiquem com Jesus.


Ditado por Áspargos
psicografado por Luconi
em 04-09-2012 

4 comentários:

  1. PUXA!!!Quanta verdade!! E sempre acontece em algum membro da família parecer nos provocar à exaustão, não? Lindo aprendizado! Não é fácil, mas vale! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, Luconi! Mais uma linda mensagem... por que é tão fácil perdoar um estranho, e tão difícil perdoar um irmão ou parente próximo? Fica a pergunta...

    ResponderExcluir
  3. Olá minha irmã de alma

    Chegando, meio devagar,
    pois divagando.
    Linda mensagem, coisas
    que estamos sempre a precisar,
    vez que esquecemo-nos de policiar
    mais nossas atitudes em se tratando
    de família, onde se encontra a nossa
    maior e principal razão para a vida.

    Eu, criada em berço espírita
    matriculada por toda infância
    nas escolinhas de evangelização
    um dia questionei
    Por que dizemos não com tanta
    facilidade aos irmãos carnais
    e aos amigos, dizemos sim?
    Porque tememos perder os amigos
    e nessa razão deixamos por vezes
    de nos impor perante eles, facilitando
    que se tornem os donos das deveras
    situações?
    Por que perdoamos os de fora e ficamos
    de mal com os de dentro, nossa
    primorosa família?
    Deus na sua sabedoria nos promoveu
    o esquecimento, por isto não saber quem
    são cada um, porque das
    vezes a família comunga entre afetos e
    desafetos em nossos acertos de conta
    e há de que tenhamos paciência
    e vibremos na mesma razão...

    Um dia haveremos de entender,
    o importante é fazer jus a oportunidade
    de vida, reparação e renovação
    eis a benção amiga...

    feliz semana minha querida

    Sinto-me feliz de sempre vir aqui,
    ainda que pausadamente entre uma
    sumida e outra, pois que somos
    escravos do tempo...

    Linda semana

    Bjs

    Livinha

    ResponderExcluir