Seguidores

quinta-feira, 11 de abril de 2013

SAULO? PAULO? DUAS VIDAS NUMA VIDA.




Saulo? Tarso? Verdugo? Apóstolo? Tirano? Benfeitor? Poço de Orgulho? Exemplo de humildade? Radical extremista? Irmão da Humanidade?

Como um homem poderia ser tudo isto, poderia ser o mais temido dos juízes pelo povo humilde e de repente ter se transformado em irmão e de certa forma pai dos mais necessitados?
Tudo isto em uma única vida, uma única encarnação. Parece conto de fábulas, mas não é.

Ainda como Saulo quando engendrava aprisionar, torturar e condenar à morte um pobre velho pelo crime de espalhar a Boa Nova de Cristo, exatamente neste ponto de sua vida, a caminho para realizar suas maléficas intenções, Jesus lhe aparece, dizendo: “Saulo, Saulo por que me persegues”?

Então, dentro daquele homem tudo se transforma, passa a acreditar piamente no Cristo como Messias. Mas  se a fé mudou, o homem ainda precisava ser polido e ele sabia disto.

Sabia que não poderia levar a palavra de Cristo enquanto não trabalhasse seu gênio forte, não exterminasse com a sua vaidade, com o seu ego e por fim com seu orgulho.

Só assim, seria digno de cumprir a missão que Cristo lhe outorgava.
Não foi do dia para noite, anos passou polindo do seu espírito, só no deserto ficou três anos, muitas afrontas e humilhações recebeu, foi incansável quando até as forças do corpo o abandonavam.
Perdeu todas as afeições, amigos e parentes, perdeu a situação financeira privilegiada e por fim até os Cristãos antes de acolhê-lo dúvidas tiveram devida a tantas maldades antes praticadas.

Exílio, necessidades materiais, trabalho humilde, humilhações, tudo isto por anos desde a visão do MESTRE para transformar o seu interior e torna-lo digno do Senhor e da missão outorgada.

Não foi do dia para a noite, foi fruto de esforço próprio alicerçado na fé e amor a Jesus Cristo.

Ninguém muda do dia para a noite, a vontade de mudar se instala cria raízes e a partir de então se começa a reforma íntima que pode durar anos ou séculos, dependendo de cada um, o livre arbítrio é nosso.

Saulo ou Paulo já tinha a qualidade de ser extremamente fiel em que ou quem acreditasse, não suportava a hipocrisia e tinha uma vontade férrea.

Mas foi o amor em Cristo que o manteve firme na resolução de se transformar, de se purificar.
Graças a sua transformação, cumpriu totalmente a sua missão, levou a palavra de Jesus a todos independente da raça. Conseguiu entender nas parábolas de Cristo que ELE viera para todos os povos e que todos são igualmente filhos de Deus.

Irmãos, hoje só gostaria que refletissem, independente de raça, cor ou doutrina religiosa, todos somos filhos do mesmo Pai e todos merecem amor.

Todos são irmãos, a humanidade inteira é uma só família, a dor de um é a dor de todos como as alegrias também o são.

Fiquem em paz
ditado pelo Irmão da paz
psicografado por Luconi
31-03-2013

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Uma reflexão muito verdadeira, Marcia. É preciso que nos lembremos disso.

    ResponderExcluir
  3. Não se muda, realmente, em um segundo. Mas ele conseguiu e, como mencionado, é como se tivesse vivido duas de suas vidas em uma única encarnação.
    Obrigada por ter retribuído, de maneira tão gentil, a minha visita. Bjs.

    ResponderExcluir